Pensando no futuro

18h36. Breve parada na Porsche Digital, em Ludwigsburg. As luzes ainda estão acesas, pois a equipe do CEO Thilo Koslowski está trabalhando para o futuro. Juntamente com a estreia mundial do novo Porsche 911 serão lançados três desenvolvimentos digitais que mostram como o posicionamento da empresa transcende o seu carro.

km 060–106
4. Pforzheim
5. Ludwigsburg

Ouça aqui o áudio do artigo (disponível apenas em inglês)
  • Thinking One Step Ahead

Lifestyle exclusivo com Porsche 360+

Desejos se tornam realidade

O assistente de lifestyle se adapta às preferências do usuário e utiliza sistemas de aprendizado. Assim são possíveis experiências pessoais e exclusivas

O Porsche 360+ é inspiração e assistente. O 360+ quer tornar possível o estilo de vida da Porsche, mesmo que você esteja viajando sem carro. Observando superficialmente, o 360+ é um aplicativo, mas por trás dele não há apenas tecnologia; são pessoas que tornam desejos possíveis – tanto os do cotidiano como os exclusivos.

Um exemplo: comprar um presente de natal que não esteja disponível em seu país. O usuário formula o desejo à equipe por e-mail, chat ou telefone e ela, com a ajuda de parceiros autorizados, encomenda o presente. O 360+ aprende a conhecer melhor as preferências do cliente. Ele é parte daquilo que Thilo Koslowski, CEO da Porsche Digital, descreveu há dois anos como sua visão de “internet de mim”. Um mundo digital conectado que reconhece desejos individuais e os realiza, talvez até mesmo antes que o próprio usuário os conheça. O copiloto será lançado na Alemanha juntamente com o novo 911. Para se tornar cliente paga-se uma contribuição, como em uma assinatura. “Os membros se beneficiam de uma gama quase ilimitada de experiências e serviços”, explica David Appold, gerente de produto para o 360+. Os próximos passos já estão em planejamento. Clientes, por exemplo, poderão participar de eventos exclusivos com a Porsche. Na fase inicial, Porsche 360+ será limitado a 911 clientes. Um círculo restrito, mas ao mesmo tempo aberto. Pois o assistente digital de lifestyle não se destina apenas aos motoristas de Porsche.

“Os membros se beneficiam de uma gama quase ilimitada de experiências e serviços” David Appold

Porsche Road Trip:
Prazer de condução para todos

Passeios exclusivos

Uma experiência de condução ainda mais emocionante através de viagens por passos de montanhas ou rotas pitorescas ao longo do mar

As rotas mais belas do mundo – escolhidas a dedo para motoristas da Porsche. Isso soa tão apropriado e simples que você se pergunta por que ele não existe há mais tempo. “Muito simples”, explica Jennifer Dungs, que trabalhou no desenvolvimento do produto. “Porque dá um trabalho inacreditável.” Cada rota no Porsche Road Trip foi selecionada individualmente e armazenada em um sistema. E junto com elas os pontos mais belos para observar a paisagem, os melhores restaurantes e hospedagens. A navegação de cada curva está integrada, naturalmente – para o prazer de conduzir e momentos inesquecíveis.

Ao ser lançado no mercado, o Porsche Road Trip para iOS pode ser baixado gratuitamente na Apple Store. Na etapa seguinte, a partir da primavera de 2019, o Porsche Road Trip também será implementado no Porsche Communication Management (PCM) do novo 911. Até agora foram compiladas rotas na Alemanha, Áustria, Suíça e EUA, mas o número deverá aumentar. “Vai levar tempo”, afirma Dungs.

“Não estamos preocupados em listar muitas rotas o mais rápido possível. Para nós, o importante é o apuro em cada detalhe. Queremos oferecer as melhores rotas para cada motorista da Porsche, assim como para os fãs de carros esportivos que ainda não são nossos clientes.” Com isso, ela, de passagem, menciona um detalhe importante: o Porsche Road Trip é endereçado intencionalmente a um círculo maior de pessoas do que apenas aos motoristas da Porsche. “A Porsche quer ampliar os horizontes para além dos carros e tornar a posição da marca mais conhecida.” O Porsche Road Trip é, portanto, um presente do novo Porsche 911 para todos os seus antecessores.

“Não estamos preocupados em listar muitas rotas o mais rápido possível. Para nós o importante é o apuro em cada detalhe” Jennifer Dungs

Porsche Impact: CO2 integralmente na mira

Contribuição para a proteção climática

Após fazer um cadastro simples, motoristas da Porsche podem participar do programa Porsche Impact e, assim, apoiar as metas climáticas globais

70% de todos os veículos já construídos pela Porsche ainda estão em circulação hoje. Um Porsche tem longa vida e garante, assim, o uso cuidadoso dos recursos naturais. Mas isso não é suficiente. Para o fabricante de esportivos, todo o ciclo de criação e vida de um produto é relevante, inclusive a produção de um carro esportivo.

O Porsche Impact, por sua vez, tem como enfoque as emissões de CO2 de todos os carros Porsche em circulação e usa a digitalização para também responder a questões da sustentabilidade. Juntamente com um parceiro específico, a fabricante de carros esportivos oferece ao motorista a possibilidade de fornecer uma contribuição financeira para a proteção climática. Para isso, ele só precisa indicar on-line a quilometragem anual individual e o modelo do carro que ele dirige. O faturamento é feito através da parceira South Pole. A contribuição é investida em todo o mundo, em projetos climáticos internacionalmente certificados, como, por exemplo, na proteção de florestas tropicais – como um projeto em Zimbábue que abrange 785.000 hectares de área florestal e que criará um corredor de biodiversidade interconectado, eliminará o desmatamento e protegerá a extensa floresta tropical. Mas também podem ser feitos investimentos em usinas de energia eólica, solar e hidráulica.

Por meio de pesquisas com clientes, a empresa primeiro sondou as metas importantes para os motoristas de veículos premium com foco na sustentabilidade. A Porsche dá um bom exemplo: os cerca de 6.000 veículos de posse da empresa no mundo todo já participam do programa, inclusive os carros de corrida.

Hoje, o Porsche Impact está pronto para o lançamento no mercado. Inicialmente, ele será introduzido na Alemanha, Polônia e Reino Unido. O objetivo é expandir o programa mundialmente o mais rápido possível. “Pesquisas mostram que clientes da Porsche estão abertos a esse tipo de programa”, esclarece Fabian Kirchhoff, um dos líderes do Porsche Impact.

“Pesquisas mostram que clientes da Porsche estão abertos a esse tipo de programa” Fabian Kirchhoff

Panorama

Thilo Koslowski

Thilo Koslowski

Chave à esquerda, acelerador à direita. No 911 nunca será de outro jeito. Mas no meio disso há espaço para ideias que tornam um Porsche mais do que apenas um carro. Nesse ponto a digitalização desempenha um papel decisivo, prevê Thilo Koslowski. Sua visão de futuro está mais próxima do cerne de cada Porsche do que se pensa. Porque ele nunca esquece que nada é possível sem o fator humano.

Thilo Koslowski, CEO da Porsche Digital GmbH, junto com sua equipe de aproximadamente 80 pessoas, se mudou há apenas alguns meses para novas instalações nas proximidades de Ludwigsburg. Uma antiga fábrica de máquinas, um prédio com muitos tijolos aparentes e muito aço. Onde antigamente os funcionários trabalhavam em turnos na linha de montagem, hoje se encontram inovadores, desenvolvedores, gestores de projeto e designers de User Experience em ágeis equipes de produto. Eles pensam e produzem de forma holística. Seu chefe é chamado por todos simplesmente de “Thilo”. Ele sai da sala de reuniões “Laguna Seca” e entra na “Mônaco”, passando por agrupamentos de mesas onde os displays brilham e as ideias reluzem. Em entrevista, ele explica por que com o novo Porsche 911 também serão lançados projetos digitais que tratam de questões completamente diferentes daquelas relacionadas ao puro prazer de condução.


A Porsche Digital existe há dois anos. A equipe, originalmente constituída de duas pessoas, conta hoje com 80. O que os projetos Porsche Impact, 360+ e Road Trip significam para uma empresa tão jovem?

No momento trabalhamos em 15 projetos, cooperamos com 13 startups e fundos de capital de risco, e trabalhamos em sete projetos de estratégia que refletem nossa visão do futuro da Porsche. O lançamento de três produtos digitais juntamente com o novo Porsche 911 é para nós um grande passo. Estamos moldando o futuro da Porsche de mãos dadas com os colegas que desenvolvem nossos carros esportivos.

O senhor trabalhou vinte anos no Vale do Silício. Que experiências desse período o ajudam hoje na Porsche Digital?

Trabalhamos em estreita colaboração com a Porsche AG, somos cem por cento sua subsidiária. A abordagem do Vale do Silício, que coloca os desejos dos clientes em primeiro plano, também é nossa abordagem. Mas – e isso é o que nos diferencia – adotamos um caminho diferente das startups no Vale do Silício.

Como é esse caminho?

Estamos interessados na qualidade sustentável, que é parte do compromisso que assumimos nos últimos dois anos. A Porsche tem uma tradição extraordinária e produtos de alta durabilidade. Isso também tem que ser refletido digitalmente. Os produtos que colocamos no mercado têm que trazer valor agregado ao cliente, e não ser algo de curta duração, mas definir tendências para o futuro.

E como o senhor define tendências para o futuro?

Atualmente, com o Porsche Impact, o 360+ e o Porsche Road Trip. Porsche Impact, porque é mais um componente de nossas ações para a mobilidade sustentável. Hoje não vemos mais a Porsche apenas como um grupo, nós convidamos também os clientes a participar ativamente, tendo em mente a pegada ecológica de 70% de todos os carros já construídos pela Porsche que hoje ainda circulam pelas ruas. O que poderia ser mais sustentável? 360+, porque esse primeiro produto de lifestyle da Porsche, em sua fase de expansão, se dirige a todas as pessoas que gostam do nosso estilo de vida. Nós passamos a ideia do assistente para o mundo digital e o vinculamos a um back office, onde operadores estão disponíveis 24 horas para atender os membros do clube. Porsche Road Trip faz do percurso a meta e oferece rotas escolhidas a dedo com tudo aquilo que se pode desejar quando se está viajando, como restaurantes, hotéis, ou lugares interessantes. Tudo reunido em um leque de opções extensivo para todo Porsche – e também para qualquer outro carro.

O senhor trabalha em cooperação com muitas outras startups. Como isso ocorre na prática?

Isso varia bastante. Nós buscamos parceiros para trabalhar juntos em inovações. Para isso, ajudamos também financeiramente, startups que estão sendo criadas ou que foram criadas recentemente. Mas às vezes começamos ainda mais cedo, onde talvez ainda só exista uma ideia. Ou seja, quem tiver uma boa ideia, deve nos visitar. Diariamente muitas pessoas entram em contato conosco ou se registram em nosso Accelerato APX com ideias sobre mobilidade, Porsche e temas que nos entusiasmam. Procuramos também empresas jovens que tenham a ver conosco e, se forem apropriadas, as tornamos nossas parceiras - como, por exemplo, especialistas na área de manutenção do automóvel como serviço para o 360+.

Se tudo passa a ser digital, então um Porsche se torna um smartphone sobre rodas?

Ouço constantemente essa comparação. Mas é exatamente o contrário! O carro é a melhor ferramenta da mobilidade. Ele me leva a qualquer lugar, com precisão, não precisa de um local de pouso remoto como o helicóptero e nem de ponto de parada como um ônibus. O carro passa por um momento de renascimento à medida que a demanda por uma mobilidade individual e conectada aumenta. E é por isso que um carro sempre será um carro, mesmo que tenha monitores e inteligência artificial.

Mas como vamos nos locomover de carro? Deixando o carro dirigir de forma autônoma ou nós mesmos conduzindo?

Das duas maneiras. Por que não optar pelo modo autônomo em engarrafamentos ou rotas monótonas? Veja quantos exemplos positivos encontramos em expressões ligadas a condução de um carro: estar no controle da direção, por exemplo. Isso me mostra que dirigir um carro é algo sensorial. Para mim, pessoalmente, é um relaxamento para a alma. Na Califórnia eu gostava de dirigir nos fins de semana e escolhia sempre uma rota especial. Por falar nisso, uma delas é parte do Porsche Road Trip e se chama “Highway 1”.

Produtos digitais da Porsche – o que o senhor acha que Ferdinand Porsche teria dito a respeito?

Uma pergunta interessante. Provavelmente ele teria achado excitante. Mas não quero fazer especulações e prefiro dizer o que seu neto, Dr. Wolfgang Porsche, pensa a respeito. Ele sabe que nossa entrada no mundo digital garante que a essência da marca Porsche seja mantida por gerações futuras, pois a Porsche é mais do que um carro. O que fazemos aqui são propostas digitais e experiências. Não queremos obrigar nenhum cliente, em algum momento, a dirigir autonomamente ou usar aplicativos digitais. O importante para mim, acima de tudo, é que no futuro nossos filhos também queiram vivenciar a Porsche.

Thorsten Elbrigmann
Thorsten Elbrigmann